Programa EUREKA

Loading...

domingo, 9 de outubro de 2016

Matemático que solucionou "O Último teorema de Fermat" recebe o prêmio Abel

fermat
O matemático que solucionou o último teorema de Fermat, uma das charadas mais difíceis da história da álgebra, recebeu nesta terça-feira (15) o Prêmio Abel, o segundo mais importante na área.
O inglês Andrew Wiles, professor da Universidade de Oxford, propôs em 1994 a solução para o problema que havia sido postulado em 1637 pelo francês Pierre de Fermat.
A história foi contada no livro “O Enigma de Fermat”, de Simon Singh, que se tornou best-seller e fez Wiles ficar conhecido fora de seu círculo acadêmico.
O chamado último teorema de Fermat era na verdade uma afirmação deixada pelo famoso matemático francês anotada de maneira informal, na margem de um livro.
O que Fermat fez, basicamente, foi estender a fórmula usada por Pitágoras para calcular as laterais do triângulo retângulo (a² + b² = c²), mas explorando outras potências (aⁿ + bⁿ = cⁿ).
Segundo ele, usando variáveis com números inteiros, não existiria nenhuma solução para a equação quando o valor da potência n fosse maior ou igual a 3.
Fermat relatou ter desenvolvido um teorema para provar essa hipótese, mas nunca o publicou. Outros matemáticos tentaram construir uma prova ao longo dos séculos, mas falharam, até a prova de Wiles ser aceita, em 1994.
Momento eureka: Usando uma demonstração de formalismo elaborado, o inglês conseguiu provar que Fermat estava correto. A façanha rendeu ao matemático não apenas fama, mas uma dúzia de prêmios importantes na área.
Faltava ainda, porém, a segunda mais cobiçada láurea da matemática: o Prêmio Abel, concedido anualmente.
Esse era o prêmio mais importante que Wiles poderia receber porque a Medalha Fields, considerada o “Nobel da matemática”, só é concedida a pesquisadores com menos de 40 anos. Wiles tinha acabado de completar essa idade quando publicou sua solução do problema, o que o tornou inelegível.
Com o prêmio Abel, Wiles recebe agora 6 milhões de coroas norueguesas (US$ 700 mil), valor também comparável ao do Nobel – tanto em remuneração financeira quanto em prestígio.
“Andrew J. Wiles é um dos poucos matemáticos – se não o único – cuja prova de um teorema foi parar nas manchetes internacionais”, afirmou um comunicado da Academia de Ciências da Noruega, que concede o Prêmio Abel. “Quando ele solucionou o último teorema de Fermat em 1994, esse era o mais famoso e mais antigo problema em aberto na história da disciplina.”